O que é artrite reumatoide?

artrite_reumatoide

Associar “reumatismo” à terceira idade continua sendo uma crença popular em nosso meio. A artrite reumatoide (AR), uma doença comum no consultório do reumatologista, atinge 1% da população brasileira, mais as mulheres, apresentando seu pico de incidência aos 39 anos. Afeta o auge da idade produtiva, isso é, boa parte da população laboral do país, desmitificando a relação exclusiva da doença com os idosos.

Em geral, a artrite reumatoide é uma doença autoimune (o próprio sistema de defesa do portador agride seu corpo), inflamatória crônica, caracterizada por sinovite periférica (inflamação da sinóvia, estrutura que reveste tendões e articulações). Predisposição genética, cigarro e má higiene dentária, por exemplo, são fatores envolvidos no desenvolvimento dessa enfermidade.

O acometimento articular costuma ser dos dois lados do corpo, de pequenas articulações das mãos, punhos e pés. Outros locais também podem ser afetados como: ombros, cotovelos, joelhos, quadris e coluna cervical. Deformidades irreversíveis como desvio ulnar e dedos em pescoço de cisne podem surgir com a evolução da doença. Com intervenção precoce no primeiro ano da doença, o quadro desses pacientes pode resultar num melhor prognóstico.

Características da artrite reumatoide

Manifestações não articulares também ocorrem como: vasculites, doença intersticial pulmonar, serosites, doenças oculares, principalmente naqueles com maior gravidade. Tais pacientes apresentam maior risco para doenças cardiovasculares, gerando uma maior mortalidade que a população geral. Além disso, muitos apresentam algum tipo de transtorno de ansiedade ou depressão.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito pela suspeita clínica, quando há história e presença de dor, edema e vermelhidão das articulações, com rigidez matinal maior que 30 minutos e duração mais que seis semanas, associado a exames complementares.

Há hoje medicamentos eficazes para controlar a doença, capazes de amenizar a dor, reduzir a progressão para deformidades e melhorar a qualidade de vida. Esses medicamentos podem ser sintéticos ou fabricados por biotecnologia, os biológicos.

Tratamento

O primeiro medicamento sintético utilizado, o metotrexato, é indicado até hoje como primeira linha de tratamento. Nos últimos 15 anos, os biológicos revolucionaram o tratamento desses pacientes, com indicação nos casos moderados a grave. É imprescindível também uma boa modificação no estilo de vida, com alimentação balanceada, atividade física regular, acompanhamento fisioterápico e de terapia ocupacional.

 

O diagnóstico e tratamento precoce da artrite reumatoide resultam na melhora da evolução da doença e da qualidade de vida de pacientes jovens ativos no mercado de trabalho. Lembrando que o acompanhamento multidisciplinar é da mesma forma indispensável para esses pacientes.

 

Artigo escrito pela médica Ana Caroline Sasaki (CRM 17993), reumatologista, integrante do corpo clínico do Hospital Dona Helena



Deixe uma resposta

Certificações
  • Certificado NBR ISO 9001
  • Joint Comission International Quality Approval
Afiliações
  • Anahp
image chatbot

Este site utiliza cookies para melhorar e personalizar sua experiência de navegação e oferecer conteúdo personalizado. Para saber mais, acesse nossa Política de Privacidade.