Os perigos da ansiedade para a saúde mental

 

Kethe de Oliveira Souza, psicóloga do Hospital Dona Helena

Manter-se saudável psiquicamente pode não parecer simples nos tempos atuais: a busca pelo ter, as relações de competitividade e a dificuldade para lidar com as frustrações nos levam ao desequilíbrio, gerando conflito com nós mesmos. Surge, assim, uma ambivalência de sentimentos que podem provocar desgaste emocional, como também um adoecimento causador de sofrimento.

A ansiedade é um sentimento humano normal, que ajuda o sujeito a seguir adiante com seus projetos, impulsionando-o. Sem esse sentimento, em doses apropriadas a cada pessoa, seguir em frente não seria fácil, podendo levar ao marasmo ou a um desgaste gigantesco.

Situações diversas podem contribuir para o desenvolvimento de doenças físicas ou psíquicas. Considera-se que tanto a ansiedade quanto outros sentimentos podem, sim, causar adoecimento. Para isso, leva-se em conta a intensidade desses sentimentos e os recursos emocionais do sujeito – consideramos recursos como a forma que a pessoa vai enfrentar a situação geradora do quadro ansioso.

Sabe-se que a ansiedade se torna prejudicial quando sua intensidade começa a interferir no desempenho da pessoa em suas atividades. As manifestações são caracterizadas por sintomas físicos e psíquicos, podendo surgir de forma abrupta ou de modo constante. Como as manifestações psíquicas são subjetivas, muitas vezes não são identificadas sozinhas, mas acompanhadas pelas físicas que levam muitas pessoas a procurar atendimento nas emergências de hospitais ou PAs – principalmente por sentirem dor no peito e dificuldade para respirar, levando-as a expressar outros sentimentos, entre eles, o medo de morrer.

Para falar sobre saúde mental, adotarei o seguinte conceito: “É um termo utilizado para descrever um nível de qualidade de vida cognitiva ou emocional ou, ainda, a ausência de doença mental”. A saúde mental pode ser caracterizada não apenas pela ausência de doença; está relacionada à forma como o sujeito reage às exigências da vida e ao modo como harmoniza seus desejos, capacidades, ambições e emoções. Assim, a ansiedade fora do normal interfere, com certeza, na saúde das pessoas.

Lembre-se que todas as pessoas podem apresentar, em qualquer momento da vida, sinais de sofrimento psíquico que podem exacerbar a presença de alguns sentimentos, por isso, o autoconhecimento, a perseverança e a resiliência são recursos necessários para o equilíbrio da saúde mental.

E, para se manter em equilíbrio e promover a saúde mental, temos diversas sugestões mencionadas por profissionais da saúde, que costumam falar sobre os benefícios de realizar atividades físicas de forma regular, alimentação balanceada, qualidade de sono, terapias para relaxar, entre outras. Sem deixar de pontuar a psicoterapia, que possibilita o sujeito a identificar seus recursos de enfrentamento e a forma de vivenciar as situações causadoras de sofrimento como a ansiedade. Lembro que o sofrimento, a frustração e a busca pela realização fazem parte da vida. Dessa forma, não passaremos por ela sem a presença de sentimentos que nos tirem de uma certa zona de conforto – o que muda é a forma que cada pessoa passará por essas circunstâncias, de acordo com sua história pessoal e os recursos emocionais disponíveis.

 



Deixe uma resposta

Certificações
Afiliações