Sequelas da Covid-19: a fisiatria em prol da recuperação de pacientes

Fisiatria, ou Medicina Física e Reabilitação, é uma especialidade médica que essencialmente busca por qualidade de vida. Todo paciente que tem redução da funcionalidade — ou seja, tem perda de suas funções motoras, funções respiratórias ou dor de difícil tratamento com impacto direto na independência e qualidade de vida — pode se beneficiar do acompanhamento fisiátrico, incluindo pacientes com sequelas da Covid-19.

“O objetivo do médico fisiatra é, a partir de uma avaliação inicial global, conseguir identificar os déficits dos pacientes com redução da sua função e autonomia, estipular os pontos que podem e/ou devem ser trabalhados, estipular metas a serem alcançadas, prescrever as terapias indicadas para o paciente e realizar acompanhamento do caso”, explica Desirée Garcia de Simas, médica especialista em Medicina Física e Reabilitação (Fisiatria), que integra o corpo clínico do novo Ambulatório de Fisiatria do Hospital Dona Helena, de Joinville (SC).

Segundo a profissional, as principais sequelas conhecidas após a fase aguda da Covid-19 estão relacionadas ao acometimento pulmonar, como tosse crônica, fibrose pulmonar, doença vascular pulmonar e bronquiectasias. No entanto, frisa Desirée, existem várias outras sequelas não pulmonares relacionadas à doença. São elas: mialgia, artralgia e/ou piora do quadro prévio de dor crônica; fadiga; transtornos de humor; déficit de memória ou de atenção; disfagia em graus variados; disfonia e/ou incoordenação pneumofonoarticulatória; sarcopenia; redução da aceitação alimentar; úlceras de pressão; incontinência; entre outras.

A avaliação realizada por um médico especialista na área de reabilitação vai muito além da doença que trouxe o paciente ao ambulatório, englobando as deficiências causadas pela doença, as incapacidades geradas por essas deficiências e as desvantagens que se seguem das mesmas. Assim, podemos realizar um plano de reabilitação, com metas claras e alcançáveis, com todas as terapias multidisciplinares pertinentes para o caso, o que aumenta a eficiência da reabilitação”, detalha a especialista.

A Fisiatria é uma área ampla e vai além do tratamento de sequelas da Covid-19 — engloba desde a dor nas costas até a reabilitação de um paciente após lesão da medula, acidente vascular encefálico (“derrame”), amputação, paralisia cerebral e várias outras doenças que trazem incapacidades. “Além da prescrição de terapias e coordenação da equipe multidisciplinar, o médico fisiatra pode se utilizar da prescrição de medicações via oral, bloqueios anestésicos, viscossuplementação, toxina botulínica, fenol, órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção. O foco do fisiatra é, além de aliviar a dor, promover melhora funcional e evitar complicações secundárias à doença de base.”

Novo ambulatório

Com o objetivo de completar a equipe multidisciplinar do corpo clínico, o Hospital Dona Helena, de Joinville (SC), agora conta com um Ambulatório de Fisiatria. “Ter um fisiatra dentro da equipe auxilia na avaliação de pacientes que necessitam de reabilitação física, bem como no planejamento do processo de reabilitação e das metas a serem atingidas, norteando o processo”, frisa Desirée. O novo serviço será mesclado ao de reabilitação do hospital, que é composto por profissionais de áreas como fisioterapia, terapia ocupacional, fonoaudiologia, psicologia e nutrição. Além disso, em alguns casos, de acordo com as demandas do paciente, o ambulatório também contará com auxílio de enfermagem e serviço social.



Deixe uma resposta

Certificações
  • Certificado NBR ISO 9001
  • Joint Comission International Quality Approval
Afiliações
  • Anahp
image chatbot

Este site utiliza cookies para melhorar e personalizar sua experiência de navegação e oferecer conteúdo personalizado. Para saber mais, acesse nossa Política de Privacidade.