image chatbot

Blog
Dona Helena

Os perigos do excesso de bebida alcoólica

Paulo Mafra, médico coordenador do Sedit no Hospital Dona Helena

O excesso de bebida alcoólica pode trazer vários problemas como acidentes, traumas, violência e suicídio. Para a saúde, em casos de uso prolongado, podem aparecer doenças como cirrose e pancreatite, vários cânceres, hipertensão arterial, defeitos no nascimento, entre outros. Sem contar o perigo do sexo desprotegido, sem camisinha, nos casos de embriaguez com perda de senso crítico.

Os principais fatores envolvidos na intoxicação pelo álcool são o sexo, tamanho e peso do indivíduo; taxa de metabolismo individual; ingestão alimentar e o tipo e quantidade de bebida consumida.

A absorção de álcool é feita, principalmente, no estômago e no intestino delgado (95%) e, com o estômago vazio, o pico de álcool no sangue acontece de 30 a 90 minutos após a ingestão. A eliminação do álcool é feita, grosso modo, em um drink/hora, ou seja, se a pessoa bebe mais de um drink/hora é provável que fique bêbada. A medida de um drink leva em conta 330 mililitros de cerveja, 150 mililitros de vinho ou 50 mililitros de uísque.

O problema é que após a euforia e a desinibição de baixas concentrações de álcool no sangue, os déficits de coordenação, atenção e cognição vão aumentando com as altas concentrações; a fala fica arrastada, há pensamentos incoerentes, confusão, náuseas e vômitos e, no estágio mais avançado, perda de consciência, podendo evoluir para depressão respiratória e morte.

Não há dose segura de álcool! A dose sugerida como “segura” é a de dois drinks/dia para o homem e um drink/dia para mulher e maiores de 65 anos (desde que não haja outros problemas de saúde, não bebam rápido e não usem outras drogas/medicações).

As principais dicas para evitar problemas são: não misture bebidas fermentadas (cerveja e vinho) com destiladas (cachaça, vodca e uísque). Atenção com uso dos energéticos misturados ao álcool. Alterne bebidas alcoólicas e não alcoólicas. Abuse da água! Alimente-se adequadamente, pois com o estômago cheio diminui a velocidade da absorção do álcool. Aumente os intervalos entre as doses. Evite bebidas clandestinas que podem ter ingredientes tóxicos. Não dirija, evite situações de conflito e faça sexo seguro.

Diretor Técnico: Dr. Bráulio Cesar da Rocha Barbosa - CRM 3379